sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Boa noite


UM GESTO DE AMOR




Um garoto pobre, com cerca de doze anos de idade, vestido e calçado de forma humilde,

entra na loja, escolhe um sabonete comum e pede ao proprietário que embrulhe para presente. É para minha mãe, diz com orgulho. O dono da loja ficou comovido diante da singeleza daquele presente. Olhou com piedade para o seu freguês e sentindo uma grande compaixão, teve vontade de ajudá-lo.


Pensou que poderia embrulhar, junto com o sabonete comum, algum artigo mais significativo. Entretanto, ficou indeciso: ora olhava para o garoto, ora para os artigos que tinha em sua loja. Devia ou não fazer? O coração dizia sim, a mente dizia não.

O garoto, notando a indecisão do homem, pensou que ele estivesse duvidando de sua capacidade de pagar. Colocou a mão no bolso, retirou as moedinhas que dispunha e as colocou sobre o balcão. O homem ficou ainda mais comovido quando viu as moedas, de valor tão insignificante. Continuava seu conflito mental.


Em sua intimidade concluíra que, se o garoto pudesse, ele compraria algo bem melhor para sua mãe. Lembrou de sua própria mãe. Fora pobre e muitas vezes, em sua infância e adolescência, também desejara presentear sua mãe. Quando conseguiu emprego, ela já havia partido para o mundo espiritual. O garoto, com aquele gesto, estava mexendo nas profundezas dos seus sentimentos. Do outro lado do balcão, o menino começou a ficar ansioso. Alguma coisa parecia estar errada. Por que o homem não embrulhava logo o sabonete? Ele já escolhera, pedira para embrulhar e até tinha mostrado as moedas para o pagamento. Por que a demora? Qual o problema?


No campo da emoção, dois sentimentos se entreolhavam: a compaixão do lado do homem, a desconfiança por parte do garoto. Impaciente, ele perguntou: Moço está faltando alguma coisa?

Não, respondeu o proprietário da loja é que de repente me lembrei de minha mãe. 

Ela morreu quando eu ainda era muito jovem. Sempre quis dar um presente para ela, mas desempregado, nunca consegui comprar nada.

Na espontaneidade de seus doze anos, perguntou o menino: nem um sabonete?

O homem se calou. Refletiu um pouco e desistiu da idéia de melhorar o presente do garoto. Embrulhou o sabonete com o melhor papel que tinha na loja, colocou uma fita e despachou o freguês sem responder mais nada.


A sós, pôs-se a pensar. Como é que nunca pensara em dar algo pequeno e simples para sua mãe? Sempre entendera que presente tinha que ser alguma coisa significativa, tanto assim que, minutos antes, sentira piedade da singela compra e pensara em melhorar o 

presente adquirido. Comovido, entendeu que naquele dia tinha recebido uma grande lição. Junto com o sabonete do menino, seguia algo muito mais importante e grandioso, o melhor de todos os presentes: O gesto de amor!


As mais bela parábolas- Alexandre Rangel

 

fonte: http://jardimdafe.blogspot.com.br/

Nossa confiança precisa estar em Deus Sorrindo pra vida - 28/09/2012

Reflexão de Márcio Mendes sobre a passagem bíblica que está em I São João 5, 14-21.


Papa convida à reflexão sobre perene evangelização


O Papa Bento XVI enviou uma mensagem por ocasião Assembleia Plenária do Conselho das Conferências Episcopais da Europa, inicada nesta quinta-feira, 27

 

O Papa Bento XVI enviou uma mensagem para a Assembleia Plenária do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), realizada de 27 a 30 de setembro em St. Gallen, na Suíça. A mensagem, assinada pelo secretário de Estado, Cardeal Tarcísio Bertone, enfatiza a reflexão acerca da tarefa perene da evangelização e da atual urgência de renovação.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Mensagem do Papa ao Conselho das Conferências Episcopais da Europa  - 29/09/2012


O Cardeal lembrou que a experiência de São Galo ensina que a mensagem cristã é semeada e está enraizada onde foi vivida autenticamente e eloquentemente por uma comunidade. Desta forma, seu anúncio é sustentado pelo testemunho de caridade fraterna e animado pela oração comum.

“A memória de São Galo e de sua obra, às vésperas do Sínodo sobre Nova Evangelização, será de estímulo à Plenária desse Conselho para assistir com fé e esperança – com o olhar fixo para Cristo Senhor – à grande “messe” que são os povos da Europa, na esteira do Concílio Vaticano II e dos ensinamentos dos Sumos Pontífices que nele atuaram”.

As discussões da Assembleia giram em torno do tema “Os desafios de nosso tempo: aspectos sociais e espirituais". A reunião termina neste domingo, 30.  


fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=287474

salmo do dia,

Salmo (Salmos 143)

Sexta-Feira, 28 de Setembro de 2012
25ª Semana Comum


— Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

— Bendito seja o Senhor, meu rochedo!


— Bendito seja o Senhor, meu rochedo. Ele é meu amor, meu refúgio, libertador, fortaleza e abrigo. É meu escudo: é nele que espero.

— Que é o homem, Senhor, para vós? Por que dele cuidais tanto assim, e no filho do homem pensais? Como o sopro de vento é o homem, os seus dias são sombra que passa.

evangelho do dia,

Evangelho (Lucas 9,18-22)

Sexta-Feira, 28 de Setembro de 2012
25ª Semana Comum


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.


Aconteceu que Jesus 18estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” 19Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”.

20Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. 21Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém.

22E acrescentou: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.


- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.


santo do dia,

São Venceslau

28 de Setembro


São Venceslau O santo que nos ensina com sua opção pelo Reino de Deus e de vida constante na luta para a santidade, é o príncipe Venceslau. Sua história se entrelaça com a vida e fé da família real. Nasceu em 907. Seu pai, Vratislau, era duque da Boêmia.


O pai e sua avó eram cristãos fervorosos, ao passo que sua mãe era uma pagã ambiciosa e inimiga da religião. São Venceslau foi educado pela avó (Ludmila), por isso cresceu religioso e muito caridoso para com os pobres, enquanto seu irmão educado pela mãe (Boleslau) tornou-se violento e ambicioso.


Com a morte do pai e pouca idade do santo herdeiro, a mãe má intencionada assumiu o governo. Sendo assim tratou de expulsar os missionários católicos. O povo revoltado, juntamente com os nobres pressionaram o príncipe para assumir o governo e com o golpe de estado Venceslau assumiu em 925.


Nos oito anos de reinado, Venceslau honrou a fama de "O príncipe santo". Logo que assumiu o trono, tratou de construir igrejas, mandou regressar os sacerdotes exilados, abriu as fronteiras aos missionários da Suábia e da Baviera. Venceslau governou com tanta justiça e brandura que com pouco tempo conquistou o coração do povo que o amava e por ele era concretamente amado: protetor dos pobres, dos doentes, dos encarcerados, dos órfãos e viúvas. Verdadeiro pai.


Este homem que muito se preocupou com a evangelização do povo a fim de introduzir todos no "sistema de Deus", era de profunda vida espiritual mas, infelizmente, odiado pelo irmão Boleslau e pela mãe, que além de matar a piedosa sogra - educadora do santo -, concordou com a trama contra o filho.


Quando nasceu o primogênito de Boleslau, São Venceslau foi convidado para um solene banquete onde foi pensando na reconciliação de sua família. Tendo saído para estar em oração, na capela real, foi apunhalado pelo irmão e pelos capangas dele. Antes de cair morto, São Venceslau pronunciou: "Em tuas mãos, ó Senhor, entrego o meu espírito". Isto ocorreu em 929.


São Venceslau, rogai por nós!


quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Bom dia


A LENDA DO AMOR



Era Uma vez o AMOR...

O amor morava numa casa assoalhada

de estrelas e toda enfeitada de sóis.

Mas não havia luz na casa do Amor,

Porque a luz é o próprio Amor.

E, uma vez,

O Amor queria uma casa mais linda para si.

- Que estranha mania esta do Amor!

E fez a terra.

E na terra fez a carne.

E na carne soprou a vida.

E na vida soprou a imagem de Sua semelhança.

E a chamou de homem.

E dentro do peito do homem o Amor construiu a Sua casa,

Pequenina mas palpitante,

Irrequieta, insatisfeita, como o próprio Amor.

E o Amor foi morar no coração do homem

E coube todinho lá dentro.

Porque o coração do homem foi feito do Infinito.

Uma vez...

O homem ficou com inveja do Amor.

Queria para si a casa do Amor, só para si.

Queria para si a felicidade do Amor, como se o Amor pudesse viver só.

E o homem sentiu uma fome torturante.

E comeu....

O Amor foi-se embora do coração do homem.

O homem começou a encher o seu coração:

Encheu-o com todas as riquezas da terra,

E ainda ficou vazio.

E o homem triste, derramou suor para ganhar a comida.

(Ele sempre tinha fome).

E continuava com o coração vazio.

Uma vez...

Resolveu repartir o seu coração inútil com as criaturas da terra.

O Amor soube.

Vestiu-se de carne e veio, também, receber o coração do homem.

Mas o homem reconheceu o Amor e o pregou numa cruz.

E continuou a derramar o suor para ganhar a comida.

O Amor, então, teve uma idéia:

Vestiu-se de comida, se disfarçou de Pão e ficou quietinho...

Quando o homem faminto ingeriu a comida

O Amor voltou à sua casa, no coração do homem.

E o coração do homem se encheu de plenitude.

 

fonte : http://jardimdafe.blogspot.com.br/

Papa destaca que atletas são mais que meros competidores



O Papa Bento XVI recebeu nesta quinta-feira, 27, os participantes do 32º Congresso Mundial de Medicina do Esporte, em Castel Gandolfo

 

O Papa Bento XVI recebeu na manhã desta quinta-feira, 27, em Castel Gandolfo, os participantes do 32º Congresso Mundial de Medicina do Esporte. Em seu discurso aos presentes, o Papa lembrou que o esporte é mais que uma competição e que os atletas são mais que meros competidores. Eles são, segundo explicou o Papa, “detentores de moral e capacidade espiritual que deve ser enriquecida e aprofundada por esportes e medicina esportiva”.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Dicurso do Papa - Congresso Mundial de Medicina do Esporte - 27/09/2012


Bento XVI afirmou que o Congresso é um sinal da capacidade que o esporte e os atletas têm de se esforçarem para unir as pessoas e os povos em busca da excelência da competitividade pacífica. “As recentes Olimpíadas e Paraolimpíadas em Londres deixaram isso claro”, disse.

Embora tendo destacado a importância dos atletas, que são mais que meros competidores, Bento XVI lembrou que, às vezes, a fama, o sucesso e a busca por dinheiro acabam se tornando o principal ou o único motivo para os envolvidos.

“Tem acontecido de tempos em tempos que vencer a todo custo substituiu o verdadeiro espírito do esporte e levou ao abuso e uso indevido dos meios à disposição da medicina moderna”.

O Papa lembrou ainda que, independente da capacidade atlética de cada um, os atletas são chamados à perfeição moral e espiritual antes do chamado para qualquer realização física. Assim sendo, o Santo Padre exortou os presentes a manterem antes de tudo a dignidade dos atletas assistidos por seu trabalho médico profissional.

“Deste modo, vocês serão agentes não somente de cura física e excelência atlética, mas também de regeneração moral, espiritual e cultural”.

Jesus é a fonte que mata sua sede

Mensagem do missionário Márcio Mendes, no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova, desta quinta-feira, dia 27 de setembro de 2012.

 


A Palavra meditada, hoje, está em São Mateus 6,5-8.


"A verdadeira riqueza não é ter, mas ser", afirma Márcio

Foto: Wesley Almeida

salmo do dia,

Salmo (Salmos 89)

Quinta-Feira, 27 de Setembro de 2012
São Vicente de Paulo


— Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.

— Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.


— Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” Pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou.

— Eles passam como o sono da manhã, são iguais à erva verde pelos campos: De manhã ela floresce vicejante, mas à tarde é cortada e logo seca.

— Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria! Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis? Tende piedade e compaixão de vossos servos!

— Saciai-nos de manhã com vosso amor, e exultaremos de alegria todo o dia! Que a bondade do Senhor e nosso Deus repouse sobre nós e nos conduza! Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho.

evangelho do dia,

Evangelho (Lucas 9,7-9)

Quinta-Feira, 27 de Setembro de 2012
São Vicente de Paulo


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 7o tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. 8Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. 9Então Herodes disse: “Eu mandei degolar João. Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?” E procurava ver Jesus.


- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.

santo do dia

São Vicente de Paulo

27 de Setembro



São Vicente de Paulo "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e espírito e amarás ao teu próximo como a ti mesmo" (Mat 22,37.39).


Se não foi o lema da vida deste santo, viveu como se fosse. O santo de hoje, São Vicente de Paulo, nasceu na Aquitânia (França) em 1581. No seu tempo a França era uma potência, porém convivia com as crianças abandonadas, prostitutas, pobreza e ruínas causadas pelas revoluções e guerras.


Grande sacerdote, gerado numa família pobre e religiosa, ele não ficou de braços cruzados mas se deixou mover pelo espírito de amor. Como padre, trabalhou numa paróquia onde conviveu com as misérias materiais e morais; esta experiência lhe abriu para as obras da fé. Numa viagem foi preso e, com grande humildade, viveu na escravidão até converter seu patrão e conseguiu depois de dois anos sua liberdade.


A partir disso, São Vicente de Paulo iniciou a reforma do clero, obras assistenciais, luta contra o jansenismo que esfriava a fé do povo e estragava com seu rigorismo irracional. Fundou também a "Congregação da Missão" (lazaristas) e unido a Santa Luísa de Marillac, edificou as "Filhas da Caridade" (irmãs vicentinas).


Sabia muito bem tirar dos ricos para dar aos pobres, sem usar as forças dos braços, mas a força do coração. Morreu quase octogenário, a 27 de setembro de 1660.


São Vicente de Paulo, rogai por nós!


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Bom dia


O pecado é o maior obstáculo para o amor



 O tempo quaresmal, eminentemente penitencial, em preparação para a Páscoa, é o propício momento em que todos nós, fiéis batizados, somos convidados a intensificar a vida de oração, penitência e caridade, com realce especial ao jejum e à abstinência. Contudo, só se compreende a Quaresma por intermédio do olhar de um Deus, que se encarna, morre e ressuscita por amor a cada um de nós. Isso mesmo, Deus mergulha na epopeia e tragédia da vida humana para nos resgatar das correntes do pecado e dar-nos a vida eterna.
A Quaresma está intimamente conectada com o desejo de felicidade e infinito, latentes em cada coração humano. Sem ela não se entende o ser cristão, sem ela não se entendem os mistérios da indigência e da grandeza humana. Constata-se por muitos espaços da vida humana um mar de tristezas e frustrações. A depressão, segundo dizem, é o mal de nosso século. Nunca sentimos tanta falta de infinito, e nunca estivemos tão presos ao efêmero, ao passageiro, ao transitório, àquilo que não gera relações humanas, valorizando demasiadamente o virtual e nos esquecendo do real, da dor, das misérias, da pobreza, da violência e das misérias morais que relativizam o belo e o sagrado e geram a cultura do descartável.
O que impede o coração humano de encontrar a felicidade? Muitas são as respostas, muitos estudos são apresentados diariamente nos meios de comunicação. Buscam-se explicações psicológicas, sociais, econômicas, políticas, entre outras. Mas são poucos os que chegam ao fundo do problema. A verdadeira e plena felicidade só será alcançada quando passarmos pela via quaresmal, caminho de purificação e penitência, que nos liberta, por meio da graça, dos grilhões do pecado.
O pecado é o maior obstáculo. Infelizmente, estamos imersos numa cultura que o comercializa. O mais triste é que, ao buscar a felicidade, a humanidade parece afundar-se cada vez mais no lodo e morre sufocada pelo veneno do pecado, que destrói almas e sonhos. E é a própria sociedade que promove esse tipo de vida, se questiona dos porquês dessas realidades que contaminam o orbe sem se importar com as condições econômicas ou sociais das pessoas.
A maior alienação é a incapacidade de perceber o quanto o ser humano se quebra quando se entrega ao pecado. Existe uma desintegração espiritual que se manifesta na sociedade e prolifera em estruturas. Ele nasce pessoal e, em proporção com a matéria, gravidade e circunstâncias, gera o mal social.
O reconhecimento de nossas misérias e fraquezas diárias é o primeiro passo para o encontro profundo consigo mesmo e com Deus. O pecado é a desintegração da nossa natureza e aliena nossa vida da realidade eterna a qual todos nós somos chamados. A penitência não é masoquismo, mas reconhecer de modo concreto e visível a nossa indigência e necessidade. Ela nos coloca no caminho do perdão, que é o resgate da unidade perdida pelo mal. O salmo penitencial 51(50) exclama, com beleza poética, o drama do pecado e a recuperação do Rei Davi. A primeira coisa que o pecado ataca é nossa consciência, ou seja, a capacidade de perceber e distinguir o mal e o bem. O Rei Davi possui a graça de ter um grande amigo, o profeta Natã. Este, sem medo das consequências e guiado pela força do Espirito Santo, o [Davi] acusa do seu pecado. A paz e a felicidade voltam ao rosto do rei de Israel apenas quando ele reconhece e deseja reparar o mal cometido.
O pecado nos coloca no sono mais profundo e nos impede de encontrar a paz que deve reinar em nossas vidas. Só por intermédio da paz, que nasce do encontro com Cristo misericordioso, ao nos arrependermos, poderemos encontrar a felicidade. Os verdadeiros amigos são aqueles que nos ajudam a despertar e a ver a realidade em toda sua complexidade, como fez Natã com Davi. Eles são capazes disso não porque sabem mais ou são mais capacitados, mas, sim, porque nos amam. Como está escrito em Eclesiástico: "O amigo fiel é poderoso refúgio, quem o descobriu, descobriu um tesouro" (Eclo 6,14).
A crise de felicidade está proporcionalmente relacionada com uma crise de amizade. Poucos encontram verdadeiros amigos. Muitas vezes, não sabemos ser bons amigos. Neste clima de preparação para a Jornada Mundial da Juventude, que será sediada na cidade do Rio de Janeiro, conclamo ao jovem: desperte com o encontro com Cristo, o dom da amizade. Não se pode ser cristão sozinho. Jovem evangeliza jovem. Com razão impacta, positivamente, milhões de pessoas a participação nas Jornadas Mundiais da Juventude, no encontro com Cristo juntamente com o Santo Padre o Papa. Nessas jornadas, os jovens descobrem que a amizade já existe entre eles, pois todos possuem em comum o grande Amigo Jesus Cristo, Aquele que nunca nos abandona.
Dizem que hoje as pessoas não querem se relacionar, desejam apenas se "conectar", pois é mais fácil colocar o outro em "off". O medo de criar laços sólidos brota, em muitos casos, da incerteza do amor. O pecado apaga de nossas vidas a certeza de que é possível amar. A fragmentação de nosso ser, oriunda do pecado, nos impede de confiar no outro.
Assim, neste importante tempo de Quaresma despertemos novamente o nosso desejo de felicidade. Purifiquemos nossas almas do pecado, que obstaculiza o encontro com Cristo, Amigo capaz de nos guiar com passos seguros. Como o Rei Davi, peçamos a Deus piedade por nossos pecados. Não tenhamos medo de reconhecer nossas transgressões.
Deus conhece nosso ser, ama a verdade e nos ensina a sabedoria. Ele nos dá a felicidade, o júbilo e nos purifica de todas as iniquidades, fazendo-nos "mais brancos do que a neve". Sobretudo, Deus cria em cada um de nós um coração novo com a ajuda da penitência e do perdão sacramental. A via quaresmal, bem vivida, despertará em nós um espírito firme e devolverá o júbilo da salvação (cf. Sal 51).
Que nesta Quaresma tenhamos a coragem de fazer uma passagem profunda de purificação do pecado para a graça, no caminho bonito do itinerário do seguimento e discipulado do Redentor!

Dom Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro

 

fonte: http://jardimdafe.blogspot.com.br/2012/02/o-pecado-e-o-maior-obstaculo-para-o.html

salmo do dia,

Salmo (Salmos 14)

Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2012
25ª Semana Comum


— O justo habitará no monte santo do Senhor.

— O justo habitará no monte santo do Senhor.


— Aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; que pensa a verdade no seu íntimo e não solta em calúnias sua língua.

— Que em nada prejudica o seu irmão, nem cobre de insultos seu vizinho; que não dá valor algum ao homem ímpio, mas honra os que respeitam o Senhor.

— Não empresta o seu dinheiro com usura, nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim!


evangelho do dia,

Evangelho (Lucas 8,16-18)

Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2012
25ª Semana Comum


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 16“ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ao contrário, coloca-a no candeeiro, a fim de que todos os que entram vejam a luz. 17Com efeito, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido e claramente manifesto.

18Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter”.


- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.


santo do dia,

São Geraldo

24 de Setembro


São Geraldo Hoje, nos enriquecemos com a vida de santidade de São Geraldo, o primeiro mártir da Hungria.


O santo de hoje nasceu em Veneza, em 980. Estudou em escola beneditina e teve uma ótima formação, que inclui o zelo pela salvação das almas. Abraçou a vida religiosa na Ordem Beneditina e em pouco tempo São Geraldo chegou ao serviço de abade do mosteiro.


Voltando de uma viagem à Terra Santa, passou pela Hungria e a pedido do rei assumiu a missão de evangelizar com seu grupo aquela nação. Combateu as idolatrias e o sagrado Bispo não deixava de recorrer e recomendar a Onipotência Suplicante da Virgem Maria.


Com a morte do rei, entrou a luta pelo poder e ele lutou pela paz onde reinava a discórdia. Um dos pretendentes não só era contra o Bispo, mas cultivava ódio pelo Cristianismo.


Numa viagem em socorro do povo com a fé ameaçada, São Geraldo foi preso e apedrejado até a morte pelos inimigos da fé, isto em 24 de setembro de 1046.


Deixou escrito lindos testemunhos do religioso Bispo e fiel cristão, o qual tornou-se com a graça de Deus.


São Geraldo, rogai por nós!


sábado, 22 de setembro de 2012

Bom fim de semana!


A dor partilhada

 


Uma história fantástica, e simples... Para ler obrigatoriamente!!!! 


Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles, podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.

A sua cama estava junto da única janela do quarto. O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas. Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres e famílias, das suas casas, dos seus empregos, onde tinham passado as férias... E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, ele passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto, todas as coisas que ele conseguia ver do lado de fora da janela.

O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela. A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem, e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vista no horizonte.

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava a pitoresca cena.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia a passar. Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, ele conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a refratava através de palavras bastante descritivas. Dias e semanas passaram.

Uma manhã, a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida do homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia. Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca. Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.


Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela... que dava, afinal, para uma parede de tijolo!

O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto, lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.


A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. "Talvez ele quisesse apenas dar-lhe coragem...".


Moral da História: Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas. A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.

Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.

"O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que lhe chamam presente."

 

fonte: http://jardimdafe.blogspot.com.br/


Papa recebe Comitê Executivo da Internacional Democracia Cristã



O Papa Bento XVI reunido com os participantes do encontro do Comitê Executivo da Internacional Democracia-Cristã na manhã deste sábado, 22

O Papa Bento XVI recebeu na manhã deste sábado, 22, 110 participantes do encontro do Comitê Executivo da Internacional Democracia-Cristã. Em seu discurso na ocasião, o Pontífice lembrou que são preocupantes a complexidade e gravidade da atual situação econômica, mas, que neste contexto, os cristãos são chamados a agir com espírito profético, assumindo com realismo, fidelidade e esperança as novas responsabilidades.

Acesse

.: NA ÍNTEGRA: Discurso do Papa ao Comitê da Internacional Democracia Cristã – 22/09/2012

O Papa disse que, desde o último encontro, realizado há cinco anos, o empenho dos cristãos na sociedade não deixou de ser um fermento vivo para melhorar as relações humanas e das condições de vida.

“Este empenho não deve conhecer flexões ou limites, mas, ao contrário, seguir profundo com renovada vitalidade, tendo em vista a continuidade e, por algumas vezes, o agravar-se das problemáticas que enfrentamos”.

Sobre a contribuição política e institucional dos membros presentes no encontro, Bento XVI destacou que isso não pode limitar-se a responder as urgências de uma lógica de mercado, mas também assumir como central e imprescindível a busca do bem comum e a promoção e proteção da dignidade da pessoa humana.

O Pontífice reiterou ainda a importância do respeito à vida em todas as suas fases, desde a concepção até seu fim natural, e do respeito ao casamento, união indissolúvel entre um homem e uma mulher e fundação da comunidade e da vida familiar.

“Um autêntico progresso da sociedade humana não poderá, portanto, abrir mão da política de proteção e promoção do matrimônio e da comunidade que deriva daí, política a ser adotada não só pelo Estado, mas pela própria Comunidade internacional, a fim de inverter a tendência de um crescente isolamento do indivíduo, o que é fonte de sofrimento e de atrofia seja para o indivíduo seja para a própria comunidade”.

Por fim, o Papa lembrou que se é verdade que a defesa e promoção da dignidade da pessoa humana é dever dos homens e mulheres, da mesma forma é verdadeiro o fato de que essa responsabilidade cabe, de modo particular, àqueles que são chamados a desempenhar um papel de representação.

“Esses, especialmente animados pela fé cristã, devem ser “capazes de transmitir às gerações razões de vida e de esperança” (Gaudium et Spes, 31)”. 

 

fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=287432

salmo do dia,

Salmo (Salmos 55)

Sábado, 22 de Setembro de 2012
24ª Semana Comum


— Na presença do Senhor, andarei na luz da vida!

— Na presença do Senhor, andarei na luz da vida!


— Meus inimigos haverão de recuar em qualquer dia em que eu vos invocar; tenho certeza: o Senhor está comigo.

— Confio em Deus e louvarei sua promessa; é no Senhor que eu confio e nada temo: que poderia contra mim um ser mortal?

— Devo cumprir, ó Deus, os votos que vos fiz, e vos oferto um sacrifício de louvor, porque da morte arrancastes minha vida e não deixastes os meus pés escorregarem, para que eu ande na presença do Senhor, na presença do Senhor na luz da vida.

evangelho do dia,

Evangelho (Lucas 8,4-15)

Sábado, 22 de Setembro de 2012
24ª Semana Comum


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 4reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola:

5“O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram. 6Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. 7Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram. 8Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou: “Quem tem ouvidos para ouvir ouça”.

9Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. 10Jesus respondeu:

“A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas aos outros, só por meio de parábolas, para que olhando não vejam, e ouvindo não compreendam. 11A parábola quer dizer o seguinte: A semente é a Palavra de Deus. 12Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas, depois, vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem. 13Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam; mas na hora da tentação voltam atrás. 14Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. 15E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança”.


- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.

santo do dia,

São Maurício e companheiros mártires

22 de Setembro



São Maurício e companheiros mártires Hoje Roma, muitas vezes é chamada de Cidade Eterna, onde encontramos a Cátedra de São Pedro, ocupada pelo atual Papa Bento XVI.


Roma é considerada pelos católicos como sinal visível do Sacramento Universal da Salvação, a Igreja; porém, para que isto ocorresse, muitos mártires deram a vida para "comprarem" com o sangue a vitória do Cristianismo sobre o Império Romano, que em 381 dobrou os joelhos diante do verdadeiro Deus e verdadeiro homem: Jesus Cristo.


São Maurício e companheiros faziam parte da tropa dos valentes guerreiros e mártires do Senhor, que estiveram envolvidos no massacre da Legião Tebana. O imperador Diocleciano, precisando combater as tropas que ameaçavam o Império no Oriente, foi ao amigo Maximiano para que o mesmo organizasse um forte exército. Tendo feito progresso, o imperador mandou que o exército parasse para descansar e oferecer sacrifícios aos deuses em sinal de agradecimento.


Imediatamente os soldados cristãos se opuseram a tal ordem: "Somos teus soldados e não menos servidores de Deus. Sabemos perfeitamente a nossa obrigação como militares, mas não nos é lícito atraiçoar o nosso Deus e Senhor. Estamos prontos a obedecer a tudo que não contrarie a lei de Jesus Cristo."


Começaram a matar parte deste grupo e o oficial Maurício com seus companheiros foram os que mais se destacaram pois acolheram, por amor e fé em Jesus Cristo, a palma do martírio, dando assim, o mais perfeito testemunho.


Providencialmente, ou seja, como sinal da grande fidelidade destes cristãos, o local à beira do Rio Ródano ficou conhecido como Martigny, nome que deriva de mártir. Este fato ocorreu por volta do ano 286, e é certo que no século seguinte foi elevada uma basílica no lugar da execução e que, no ano 520, Sigismundo, rei da Borgonha, construiu lá um mosteiro que subsiste ainda e deu origem à cidade de São Maurício na Suíça.


São Maurício e companheiros, rogai por nós!


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Bom dia


Viva a glória do céu aqui na terra

Mensagem do missionário Márcio Mendes, no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova, desta Sexta-feira, dia 21 de setembro de 2012.

A Palavra meditada, hoje, está em I Pedro 4,7-11.

"Coloque o Senhor no seu dia a dia, porque onde Ele se faz presente o mal começa a morrer", aconselha Márcio.

Foto: Arquivo/Fotos CN

Preciso vencer o mal pelo bem


Firmado acordo para publicação do 3º volume de "Jesus de Nazaré"



O Papa Bento XVI concluiu o 3º volume da obra Jesus de Nazaré no mês passado e já há acordo firmado para sua publicação

 

Nesta sexta-feira, 21, no Vaticano, a Livraria e Editora Vaticana e a Casa Editora Rizzoli firmaram o acordo para a publicação do livro do Papa Bento XVI sobre a infância de Jesus nos Evangelhos, obra concluída em agosto deste ano. O título definitivo do livro ainda está reservado, mas este é o terceiro volume da trilogia "Jesus de Nazaré", escrita pelo Pontífice.

A Rizzoli tem a responsabilidade de vender em todo o mundo os direitos da obra. Na Itália, o volume, cuja publicação em todas as livrarias é prevista para o Natal, apresenta-se como uma co-edição entre a Livraria e Editora Vaticano e a Rizzoli.

Junto à edição italiana, já está prevista uma em alemão, publicada pela Herder, editora do histórico de Joseph Ratzinger, enquanto se está trabalhando ativamente para a publicação simultânea nas línguas de maiores difusões.

Joseph Ratzinger – Bento XVI – centrou sua investigação científica e seu trabalho para fazer conhecer "a pessoa e a mensagem de Jesus". Este novo e aguardado livro sobre a figura de Jesus nos relatos evangélicos da infância, que constitui o complemento das duas obras precedentes, revela-se como de grande importância do ponto de vista teológico e científico.

Os volumes precedentes da trilogia de Bento XVI são “Jesus de Nazaré" (Rizzoli, 2007), “Jesus de Nazaré. Da entrada em Jerusalém à Ressurreição” (LEV 2011).

salmo do dia,

Salmo (Salmos 18)

Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2012
São Mateus, Apóstolo


— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

— Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!


— Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento, a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia!

— Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz!


evangelho do dia,

Evangelho (Mateus 9,9-13)

Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2012
São Mateus, Apóstolo


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 9Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus.

10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?”

12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.


- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.


santo do dia,

São Mateus

21 de Setembro


São Mateus A Igreja celebra hoje, de forma especial, a vida de São Mateus apóstolo e evangelista, cujo nome antes da conversão era Levi. Morava e trabalhava como coletor de impostos em Cafarnaum, na Palestina. Quando ouviu a Palavra de Jesus: "Segue-me" deixou tudo imediatamente, pondo de lado a vida ligada ao dinheiro e ao poder para um serviço de perfeita pobreza: a proclamação da mensagem cristã!


Mateus era um rico coletor de impostos e respondeu ao chamado do Mestre com entusiasmo. Encontramos no Evangelho de São Lucas a pessoa de Mateus que prepara e convida o Mestre para a grande festa de despedida em sua casa. Assim, uma numerosa multidão de publicanos e outros tantos condenados aos olhos do povo, sentaram-se à mesa com ele e com Àquele que veio, não para os sãos, mas sim para os doentes; não para os justos, mas para os pecadores. Chamando-os à conversão e à vida nova.


Por isso tocado pela misericórdia Daquele a quem olhou e amou, no silêncio e com discrição, livrou-se do dinheiro fazendo o bem.


É no Evangelho de Mateus que contemplamos mais amplamente trechos referentes ao uso do dinheiro, tais como:

"Não ajunteis para vós, tesouros na terra, onde a traça e o caruncho os destroem." e ainda:"Não podeis servir a Deus e ao dinheiro."


Com Judas, porém, ficou o encargo de "caixa" da pequena comunidade apostólica que Jesus formava com os seus. Mateus deixa todo seu dinheiro para seguir a Jesus, e Judas, ao contrário, trai Jesus por trinta moedas!


Este apóstolo a quem festejamos hoje com toda a Igreja, cujo significado do nome é Dom de Deus, ficou conhecido no Cristianismo nem tanto pela sua obra missionária no Oriente, mas sim pelo Evangelho que guiado pelo carisma extraordinário da inspiração pôde escrever, entre 80-90 na Síria e Palestina, grande parte da vida e ensinamentos de Jesus. Celebramos também seu martírio que acabou fechando com a palma da vitória o testemunho deste apóstolo, santo e evangelista.


São Mateus, rogai por nós!


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Boa noite


APRENDENDO A VIVER



Aprendi que se aprende errando
Que crescer não significa fazer aniversário.

Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem.

Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro.
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos.
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada
Que a Natureza é a coisa mais bela na Vida.
Que amar significa se dar por inteiro
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos.
Que se pode conversar com estrelas
Que se pode confessar com a Lua
Que se pode viajar além do infinito
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar um carinho também faz...
Que sonhar é preciso
Que se deve ser criança a vida toda
Que nosso ser é livre
Que Deus não proíbe nada em nome do amor.
Que o julgamento alheio não é importante
Que o que realmente importa é a Paz interior.

"Não podemos viver apenas para nós mesmos.
Mil fibras nos conectam com outras pessoas;
e por essas fibras nossas ações vão como causas
e voltam pra nós como efeitos."
(Herman Melville)

 

fonte: http://jardimdafe.blogspot.com.br/2011/03/aprendendo-viver.html

Papa considera visita ao Líbano como sinal profético de paz

 



 

''Acho que chegou o momento de dar juntos um testemunho sincero e decisivo contra as divisões, contra a violência, contra as guerras'', diz o Papa

Na catequese desta quarta-feira, 19, o Papa Bento XVI recordou os momentos de sua estadia no Líbano no último fim de semana por ocasião da entrega da Exortação Apostólica pós sinodal Ecclesia in Medio Oriente. Para Bento XVI, os dias passados no país foram “uma bela manifestação de fé e de intensa religiosidade e um sinal profético de paz”.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Catequese de Bento XVI - Viagem Apostólica ao Líbano - 19/09/2012
.: Todas as notícias do Papa no Líbano

Mesmo diante das circunstâncias difíceis, o Papa disse que esta foi uma viagem que ele realmente quis fazer. Isso porque ele considerou que “um pai deve ser sempre próximo aos seus filhos quando encontram graves problemas”.

O Papa relatou que, tendo em vista os sofrimentos e dramas vividos na região do Oriente Médio, ele manifestou sua sincera proximidade às aspirações da população, levando uma mensagem de encorajamento e de paz.

Para ele, o povo do Líbano e do Oriente Médio teve, durante sua visita, uma importante experiência de respeito mútuo, compreensão e fraternidade, o que constitui sinal de esperança para a humanidade.

“Os muçulmanos me acolheram com grande respeito e sincera consideração, sua constante e participante presença deram-me a oportunidade de deixar uma mensagem de diálogo e de colaboração entre Cristianismo e Islamismo: eu acho que chegou o momento de dar juntos um testemunho sincero e decisivo contra as divisões, contra a violência, contra as guerras”.

Bento XVI lembrou ainda o momento da assinatura da Exortação Apostólica, o que aconteceu após a cerimônia de chegada. “Naquela circunstância convidei os católicos médio-orientais a fixarem o olhar em Cristo crucificado para encontrarem a força, também em contextos difíceis e dolorosos, de celebrar a vitória do amor sobre o ódio, do perdão sobre a vingança e da unidade sobre a divisão”.

Sobre o encontro com os Chefes da Comunidades religiosas muçulmanas, Bento XVI disse que a reunião desenvolveu-se  com diálogo e benevolência recíprocos e destacou a necessidade de diálogo e cooperação entre os povos.

“Agradeço a Deus por este encontro. O mundo de hoje precisa de sinais claros e fortes de diálogo e cooperação, do que o Líbano tem sido e deve continuar a ser um exemplo para os países árabes e para o resto do mundo”.

Já em seu encontro com os jovens, o Papa recordou que os encorajou a serem firmes na fé e desenvolverem um relacionamento pessoal mais profundo com Cristo. Ao ver jovens cristãos e muçulmanos fazendo festa em harmonia, Bento XVI encorajou-os também a construírem juntos o futuro do Líbano. “A concórdia e a reconciliação devem ser mais fortes do que as forças da morte.

Por fim, o Santo Padre disse que, diante da multidão de fiéis reunida na Santa Missa, em seu último dia de visita ao país, quis exortar todos a viverem a fé e a testemunhá-la sem medo. Ele acredita que isso deve ser feito tendo em vista a vocação do cristão e da Igreja de levar o Evangelho a todos sem distinção, como fez Jesus.

“Tenho certeza de que o povo libanês, em sua multiforme e sólida composição religiosa e social, saberá testemunhar com um novo apreço a verdadeira paz, que nasce da confiança em Deus”, disse.


fonte : http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=287406

Tire o medo do seu coração

Mensagem do missionário Márcio Mendes, no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova, desta quarta-feira, dia 19 de setembro de 2012.

A Palavra meditada, hoje, está em São Lucas 12,4-8.

"Não tenha medo, você não está abandonado", ressalta Márcio

Foto: Maria Andrea

salmo do dia,

Salmo (Salmos 32)

Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2012
São Januário


— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!


— Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o! Cantai para o Senhor um canto novo, com arte sustentai a louvação!

— Pois reta é a palavra do Senhor, e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.

— Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança! Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos!


evangelho do dia,

Evangelho (Lucas 7,31-35)

Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2012
São Januário


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, disse Jesus: 31“Com quem hei de comparar os homens desta geração? Com quem eles se parecem? 32São como crianças que se sentam nas praças, e se dirigem aos colegas, dizendo: ‘Tocamos flauta para vós e não dançastes; fizemos lamentações e não chorastes!’

33Pois veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e vós dissestes: ‘Ele está com um demônio!’ 34Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e vós dizeis: ‘Ele é um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos pecadores!’ 35Mas a sabedoria foi justificada por todos os seus filhos”.


- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.


santo do dia,

São Januário

19 de Setembro


São Januário A história do santo deste dia se entrelaça com a cidade italiana de Nápoles, onde o corpo e sangue de Januário estão guardados. Este santo viveu no fim do século III e se tornara Bispo de Benevento, cidade próxima a Nápoles.


Como cristão estava constantemente se preparando para testemunhar (se preciso com o derramamento do próprio sangue) seu amor ao Senhor, já que naqueles tempos em que a Igreja estava sendo perseguida, não era difícil ser preso, condenado e martirizado pelos inimigos da Verdade. Na função de Bispo foi zeloso, bondoso e sábio, até ser juntamente com seus diáconos, preso e condenado a virar comida dos leões no anfiteatro da cidade de Pozzuoli (a primeira terra italiana que pisou o apóstolo Paulo a caminho de Roma).


Igual ao profeta Daniel e muitos outros, as feras lamberam, mas não avançaram nestes homens protegidos por Jesus. Nesse caso, sob a ordem do terrível imperador Diocleciano (último grande perseguidor), a única solução era a espada manejada pela irracional maldade humana. Foram decapitados. Isto ocorreu no ano 305.


Alguns cristãos, piedosamente, recolheram numa ampola o sangue do Bispo Januário para conservá-lo como preciosa relíquia e seu corpo acabou na Catedral de Nápoles. A partir disso, os napolitanos começaram a venerar o santo como protetor da peste e das erupções do vulcão Vesúvio.


Dentre tantos milagres alcançados pela sua intercessão, talvez o maior se deve ao seu sangue,"aquele guardado na ampola". Acontece que o sangue é exposto na Catedral, no dia da festa de São Januário e o extraordinário é que há séculos, o sangue, durante uma cerimônia, do estado sólido passa para o estado líquido, mudando de cor, de volume e até seu peso duplica. A multidão edificada se manifesta com gritos, enquanto a ciência, que já provou ser sangue humano, silencia quanto a uma explicação para este fato, esclarecido somente pela fé.


São Januário, rogai por nós!



segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Bom dia



Sacramentos II Parte



Batismo


Pelo sacramento do Batismo celebramos o nascimento para a vida nova de Jesus Cristo. Somos colocados no Mistério de Cristo (Rom 6, 3-4), e começa em nós a vida de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Assim como Cristo morreu e ressuscitou, nós também morremos com Cristo e com Ele nascemos para a vida nova (Jo 1, 15). São Paulo nos diz: "Com Cristo morremos para o pecado e com Ele nascemos para a vida nova" (Rom 6, 2-4).


E nos tornamos filhos de Deus em Jesus, pessoas novas. Deus nos renasce em Jesus para sermos filhos e irmãos uns dos outros. Por isso o Batismo nos coloca na comunidade. Somos Igreja. Nessa comunidade todos se esforçam para viver no amor que é a vida de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Essa é a vida eterna que tanto desejamos e que agora começa e deverá se desenvolver mais em nós.


Deus nos liberta enquanto, pelo Batismo, nos comprometemos com o próprio Deus, com as pessoas e com as realidades humanas, não somente para vivermos a vida de Deus, mas para descobrirmos e denunciarmos em nós o pecado, as situações de pecado e aquilo que gera o pecado impedindo-nos de nos realizarmos como gente e vivermos o Evangelho. Todos nós somos então missionários e apóstolos no meio do povo. Somos Igreja, Povo de Deus, marcados por um sinal especial do seu amor para vivermos no mundo como homens novos segundo o projeto com Deus pelo Espírito Santo no amor dos irmãos.


A água que usamos no Batismo tem o sentido de vida. Nós batizados vivemos a vida de Deus, vida que é libertação. Na medida em que vivemos essa vida dia a dia, vamos descobrindo tanto a realidade de Deus que é vivo em nosso meio, como as situações de pecado. Isso nos leva a tomar posição para transformar, libertar e fazer o Reino de Deus presente no mundo.


A comunidade, que nos recebe, caminha conosco. Por isso nos prepara para o Batismo nosso e de nossos filhos através de um "Curso de Batismo". A gente precisa entender e acreditar no que realiza a comunidade presidida pelo sacerdote, pelo diácono ou ministro especial do Batismo.


Todos somos responsáveis e temos de dar bom exemplo de vida e de compromisso na comunidade aos que foram batizados ou são nosso afilhados. Às vezes alguns pensam que a pessoa não foi bem batizada por isso está doente ou dá trabalho. Isso não é verdade. É mais certo dizer que os pais e padrinhos não deram bom exemplo e não souberam educar na fé, por isso o filho ou afilhado não é boa pessoa. O importante é o que a comunidade realiza, a Fé que nos leva a aceitar Jesus e seu programa de vida. Devemos viver a vida nova de Deus mesmo que tenhamos de nos sacrificar até o fim.


A Crisma


Jesus passou três anos mostrando com palavras e obras que Deus é Pai e que seu Reino é de Amor, de Fraternidade, de Perdão e de Justiça. Os apóstolos escutavam, mas não entendiam muito bem. Um dia eles receberam o Espírito Santo que lhes deu o entendimento de tudo, da vida e das palavras de Jesus. Eles ficaram corajosos e começaram a fazer pregações, ensinando as coisas de Deus e começaram a viver com Jesus viveu.


O sacramento da Crisma é a confirmação na Fé. Nós recebemos a graça de Deus no Batismo. A vida de Deus Pai, Filho e Espírito Santo está em nós; agora recebemos a confirmação dessa vida e uma presença nova do Espírito Santo que nos dá força e coragem para vivermos nosso compromisso com Deus e com os irmãos, mesmo que custe sacrifícios (Atos 8, 4-25; 19. 1-7)


O Espírito Santo nos santifica e faz de nós missionários. Nós seremos sinais e testemunhas de Deus no mundo e levaremos a todos a Palavra de Jesus, anunciando o plano de Deus de viver conosco e nossa realização plena de pessoa humana em Jesus, e denunciando com coragem e com a própria vida tudo o que está destruindo a gente e impedindo de vivermos dignamente.


Recebemos esse sacramento quando formos adultos e estivermos prontos para enfrentar a vida. O Espírito Santo nos ensinará a viver no amor de Deus e dos irmãos, nos ensinará todas as coisas (Jo 16, 13), nos confirmará como filhos de Deus e nos reunirá na comunidade, onde somos irmãos de todos em Jesus.


A Eucaristia


Jesus ao celebrar a última Ceia em sua vida, depois de Ter comido o cordeiro e de Ter dado uma grande lição de humildade e de amor lavando os pés dos apóstolos, pegou o pão, deu graças ao Pai, dividiu o pão entre os apóstolos dizendo: "Tomai e comei , isto é o meu Corpo". E o mesmo fez com o vinho dizendo que era seu sangue a ser derramado como sinal da Aliança do amor de Deus com todas as pessoas. E terminou dizendo: "Fazei isso em minha memória" (Mt 26, 26-29; Mc 14, 22-25) Lc 22, 19-20).


Jesus se deu a nós em forma de alimento e mandou que fizéssemos isso para anunciar cada vez a sua vida e morte e proclamar sua ressurreição. Ele criou esse modo de se oferecer ao Pai e de permanecer conosco como companheiro, alimento e força de libertação. É um mistério da Fé. Deus nos amou demais e quis ficar conosco num sinal de comida e bebida (Jo 6, 32-40).


Cada vez que a comunidade realiza esse gesto, revive esse acontecimento; ela renova o mistério de Jesus e o faz presente, vivo e verdadeiro entre nós (1Cor 11, 23-26).


É através dessa presença que Jesus nos dá força para vivermos como criaturas novas, sempre recriando em nós o homem e fazendo que tenhamos os mesmos sentimentos de Jesus. Nesse mistério é que a comunidade encontra seu mais forte ponto de união e o ponto mais alto de sua vida. Ela celebra a vida, o amor e nos transforma em Cristos vivos, sinais de amor de Deus que salva.


Essa participação em Jesus da vida de Deus exige de nós uma mudança total de vida e uma abertura para o irmão. Isso faz de nós mais ainda filhos de Deus e comunidade de salvação que caminha no seguimento de Jesus. Essa renovação da vida, morte e ressurreição de Jesus, onde Ele se oferece como sacrifício ao Pai, e como alimento para nós, acontece na Missa.


Nessa celebração da comunidade, que é a missa, Jesus se oferece ao Pai e se dá a nós na Palavra que ouvimos e refletimos - e na Comunhão como alimento de vida eterna. Por isso mesmo a gente participa da missa. Não é uma obrigação, mas é uma oportunidade de nos amarmos mais. É ai que a vida da gente ganha novo sentido e aí nos renovamos.


Quem quiser comungar bem precisa:


Saber e acreditar que está recebendo Jesus vivo.


Estar em paz consigo mesmo e com os outros, mesmo tendo problemas e dificuldades de cada dia.


Evitar comidas sólidas e bebidas alcoólicas uma hora antes da comunhão. Água e remédios não impedem a comunhão. Aprender o modo de comungar de sua comunidade.


Reconciliação e Penitência (Confissão)


Deus, que é Pai, fez o plano de viver com a pessoa humana. Acontece que a gente se desvia desse plano, recusa a felicidade de viver com Deus e viver à maneira de Jesus. É a realidade do pecado. Apesar do Batismo fazer renascer em nós o homem novo e nos colocar novamente em Deus, nós muitas vezes preferimos fazer tudo do nosso modo e segundo o nosso pensamento. É assim que voltamos a pecar, nos enganamos e acabamos fazendo o mal para nós e para os outros. Ficamos assim num desencontro com Deus, conosco mesmo, com a comunidade e com o mundo.


A consciência de termos errado nos leva a procurar corrigir nosso erro, dar nova direção à nossa vida e a voltar para a comunidade onde nos encontramos com Deus. O sacramento pelo qual Deus nos perdoa e somos recebidos novamente na comunidade se chama: Reconciliação e Penitência. É o Cristo vivo na Igreja-Comunidade que nos perdoa e nos reconcilia com Deus, conosco mesmo, com a comunidade e com o mundo. Esse gesto de amor nos dá a paz e a certeza da vida de Deus em nós e a vida na fraternidade de Jesus que é a comunidade.


Em qualquer celebração do perdão, seja na celebração comunitária, seja na confissão individual com o sacerdote-representante de Jesus e da comunidade, damos nova direção a nossa vida, reconquistamos a nós mesmos, a vida de Deus e voltamos a ocupar nosso lugar na comunidade. É o sacramento da misericórdia, do perdão e da alegria. Jesus veio salvar os pecadores e nos libertar de nossa própria maldade.


Como fazer uma boa confissão


- Olhe sua vida e olhe o Evangelho. Como pensamos e agimos diferentemente daquilo que Jesus fez e ensinou. É o exame de consciência.


- Quem ama, vê seus erros, as conseqüências deles para si e para os outros. Tem vontade de se corrigir e recomeçar, porque entende que precisa viver no amor.


- É uma conversão. Uma mudança de atitude para se unir mais com Deus e com os irmãos, para assumir a vida e os compromissos cristãos. É renovar-se no Espírito de Jesus.


- Apresente-se à comunidade. Ela, em nome de Jesus, através de seu representante que é o sacerdote, o renova na graça do perdão.


- A revelação de pecados, é uma renovada manifestação perante a comunidade da misericórdia e da fidelidade de Deus que nos ama gratuitamente.


A Ordem


Cada um de nós recebeu de Deus dons especiais para exercermos um serviço na comunidade (1 Cor 12, 4ss). São os carismas, graças do Espírito Santo para o proveito de todos. O professor ensina, o médico exerce seu serviço, quem sabe aconselhar ajuda os outros, etc. Há também diversos ministérios, serviços especiais na comunidade: os que ensinam a Palavra de Deus, levam conforto aos doentes, os que zelam pelos pobres, os catequistas.


Mas há também um ministério especial. Deus chama, através da comunidade, algumas pessoas e lhes dá o poder de falar e agir em nome, no lugar e na força de Jesus. Assim ele se torna ministro para um serviço muito especial na comunidade. É o sacerdote, ou como costumamos dizer: o Padre. Pelo sacramento da Ordem, ele é marcado por Deus e vai exercer esse serviço em nome da comunidade. Ele participa do sacerdócio de Jesus que se oferece continuamente ao Pai para a salvação de todos.


O sacerdote é escolhido entre os homens como mediador nas coisas que dizem respeito a Deus para oferecer dons e sacrifícios, para nos dar a graça que é Jesus, para nos ensinar sua Palavra e orientar a comunidade. Como Jesus, ele se oferece a Deus Pai e aos irmãos num gesto de amor que realiza uma presença especial de Deus entre nós.


Na comunidade, cada um de nós tem que rezar e valorizar seus sacerdotes. Bem como ajudar aqueles que se preparam para essa missão. Como homem, ele é também cercado de fraquezas e por isso precisamos apoiá-lo caminhar com ele na amizade e na oração. Eles precisam sentir nosso carinho e nosso amor. Ele também é da nossa comunidade.


O Matrimônio


O Matrimônio é um sacramento que celebra o amor que naturalmente brota entre um homem e uma mulher. É um projeto de fidelidade para sempre. É uma vocação. Deus os chama para serem uma comunidade familiar pelo serviço no amor.


Por amar muito, uma pessoa se dá a outra e se preocupa em construir na pessoa do outro a pessoa humana feliz à maneira de Jesus. E os dois juntos se tornam sinal de Deus e presença de salvação (Ef 5, 25-33). Esse sacramento é realizado pelas pessoas que se casam. Um juramento de amor por toda a vida, uma entrega de sua própria pessoa.


A realização desse sacramento se faz num caminhar lento, no dia-a-dia. A Bíblia fala que "os dois serão uma só carne, um só coração, uma só alma". E fiéis até o fim, os dois se entregam a essa tarefa de construção de sua própria felicidade na doação de si mesmo. O egoísmo que nos leva a pensar só em nós é o grande pecado do casamento.


Na alegria, na tristeza, fiel um ao outro, no amor dos filhos, a família é um pequeno espelho de Deus que também é uma família no amor. Deus Pai, Filho e Espírito Santo. É a pequena igreja doméstica, sinal e presença de salvação no mundo.


Uma família que reza, permanece na união. Somente cultivando uma vida cristã e piedosa é que a família consegue superar todas as dificuldades da vida moderna e não crer nas idéias erradas espalhadas no mundo de hoje.


O Deus que abençoou o início e a entrega que o casal fez de si mesmo, tem que estar presente todos os dias. E o que Deus uniu e abençoou, o homem não separe (Mt 19, 3-6).


Unção dos Enfermos


O cristão sendo fiel a Deus na saúde, deve ser fiel também no sofrimento e na velhice. Esse é o sacramento que celebra esse momento. É o Cristo e a comunidade que acompanham a gente na dor, na doença, na velhice, quando então experimentamos o limite do humano em nós.


É na doença e na velhice que experimentamos à vezes a maior solidão, o desespero e sentimos a angústia de existir, de não poder agir, de pensarmos que somo inúteis. A comunidade nos dá então mais uma oportunidade de nos unirmos ao sofrimento de Jesus e com Ele vivermos essa hora renovando o mistério de sua Paixão e talvez o de sua Morte.


No sofrimento nosso, Jesus continua vivendo seu mistério de Paixão e Morte, para ressuscitar conosco. Ele aparece nessa hora como a grande esperança, nos dá o perdão dos pecados, o alívio no sofrimento e a graça de nos unirmos mais a Ele na salvação do mundo (Tiago 5, 14-15). A fé nos leva a crer no poder de Jesus que nos salva, a agradecer cada dia mais a graça da vida e a graça de poder amar.


O sofrimento não é nossa infelicidade. Ele nos revela nosso limite humano; o limite de nossa existência e nos ensina que aqui somos peregrinos a caminho do Pai.


Na doença mais grave, na velhice, podemos receber esse sacramento como força de Deus que nos dá a paz, perdoa nossos pecados, alivia nosso sofrimento, aumenta nossa fé e renova nossa esperança: Jesus é o Senhor da vida. Deus é nossa força e nosso consolo. Ele nos conduz com amor.


Devemos Ter o maior carinho com os doentes e pessoas idosas. Jesus está em cada um deles, assim vemos no Evangelho: "Estive doente e me visitaste" (Mt 25, 36 ss).

 

fonte: http://jardimdafe.blogspot.com.br/